APRESENTAÇÃO

Nos últimos anos, o Grupo de Trabalho Acervos da Sociedade de Arqueologia Brasileira (GTA-SAB), juntamente com a Rede de Museus e Acervos Arqueológicos e Etnográficos (REMAAE) tem conseguido organizar importantes espaços de discussão por meio das realizações dos Fóruns Acervos Arqueológicos. O primeiro realizado em Ouro Preto, em 2017, o segundo no Rio de Janeiro, em 2018 e o terceiro em Belo Horizonte, 2019. Os três primeiros fóruns resultaram em grande amadurecimento e na elaboração de documentos que têm nos auxiliado a fortalecer a militância em prol da gestão dos acervos arqueológicos.

Nesse espaço você tem acesso às principais informações sobre os Fórum Acervos Arqueológicos e às ações organizadas pelos coletivos organizadores: Grupo de Trabalho Acervos da Sociedade de Arqueologia Brasileira e a Rede de Museus e Acervos Arqueológicos.

SOBRE O IV FORUM ACERVOS ARQUEOLÓGICOS: POLÍTICAS DE COLEÇÕES

O IV Fórum Acervos Arqueológicos acontecerá de 30 de agosto a 02 de setembro exclusivamente de modo online, e terá como tema Políticas de Coleções. O objetivo é avançar os debates iniciados nos Fóruns anteriores, mantendo como princípio o amplo convite às Instituições de Guarda e Pesquisa de Bens Arqueológicos (IGP’s) de todo país a participar do Fórum, assim como a aproximação dos coletivos (Grupo de Trabalho Acervos da Sociedade Brasileira de Arqueologia  e Rede de Museus e Acervos Arqueológicos e Etnográficos), tendo como ponto de convergência o adensamento das discussões sobre políticas de coleções arqueológicas.

A escolha de temática Políticas de Coleções reforça nosso otimismo pelo crescente interesse que tangencia o tema dos acervos arqueológicos, ao mesmo tempo em que nos coloca diante da imperiosa necessidade de permanecermos vigilantes e alerta dos muitos desafios que profissionais e instituições enfrentam diariamente na gestão de acervos custodiados em museus e instituições congêneres, nas esferas pública e privada.

Ao  longo de 2020 e com continuidade em 2021, três grupos de debate têm se reunido periodicamente para discutir políticas de coleções arqueológicas através dos recortes temáticos das Institucionalidades, Significações e Ressignificações, e Dinâmicas de Preservação. Os grupos reúnem mais de 90 pessoas entre profissionais da área, representantes de instituições e estudantes, criando um profícuo espaço de debate online, formato que proporcionou seu funcionamento respeitando as limitações impostas do atual contexto de pandemia.

Como resultado desse processo de construção coletiva, o Fórum contará com as apresentações dos Grupos de Debate, além de conferências e discussões com profissionais, comunidades, instituições e órgãos ligados à gestão das coleções arqueológicas, com o objetivo de ampliar a participação de todos e criar um processo cada vez mais democrático de diálogo e concepção de diretrizes.

O formato online imposto pela pandemia nos possibilitará trazer grandes referências no tema para conferências e trocas de conhecimentos. Com o alargamento dessa rede queremos contemplar não somente novos participantes do Fórum, mas a permanência daqueles que já participaram de edições anteriores, para que se sintam instigados com novas perspectivas e oportunidades de aprimoramento. Assim como em todas suas edições, o IV Fórum Acervos Arqueológicos mantém o compromisso de assegurar uma das suas principais características: a aderência livre e gratuita do público ao evento.

As inscrições para participar do IV Fórum Acervos Arqueológicos estão abertas até o dia 28 de agosto, exclusivamente pelo site.

 Comissão Organizadora:

Grupo de Trabalho Acervos da Sociedade de Arqueologia Brasileira

Daiane Pereira (IEPA) – Diego Lemos Ribeiro (UFPEL) – Grasiela Tebaldi Toledo (IPHAN) – Silvia Cunha Lima Auväärt (GTA-SAB)

Rede de Museus e Acervos Arqueológicos e Etnográficos

Ana Carolina Montalvão (UFMG) – Mario Polo (MN) – Maurício André da Silva (USP) – Paulo Otávio de Laia  (UFOP) 

Profissionais e Instituições convidadas

Alejandra Saladino (UNIRIO) –  Cristiana Barreto (MPEG) – Helena Lima (MPEG) – Márcia Bezerra (UFPA)